BLOG MAN LAB

Setembro 09, 2016

0 comentários


Man Lab Inaugura Barbearia e Flagship Store em São Paulo

Inauguramos nossa 1a Barbearia e Flagship Store em São Paulo, localizada no Lobby do tradicional e reconhecido Hotel Maksoud Plaza, próximo à Avenida Paulista.

A barbearia do Hotel Maksoud foi referência nos anos 80 e 90, e agora voltará a funcionar, servindo de espaço para a Man Lab, que usará os próprios produtos para realizar os tratamentos nos clientes. Todos os produtos da marca são fabricados a partir de ingredientes e matérias-primas essenciais e possuem linhas exclusivas para o cuidado e manutenção da barba.

barbearia man lab maksoud plaza
A Man Lab vai levar uma experiência exclusiva aos clientes, que poderão aguardar o atendimento tomando um drink no Frank Bar, restaurante e bar do hotel, e vizinho da Man Lab. “Resgatamos o serviço de barbearia em hotel, não vemos mais outros hotéis oferecendo este serviço”, afirma Felipe Barbosa.

O projeto é do arquiteto Isac Martins que imprimiu a masculinidade nas linhas retas e no aço presente no mobiliário. O balcão de atendimento foi substituído por uma mesa retrátil que será usada o mínimo possível para garantir a liberdade de circulação pelo local, que não terá vitrine nem bloqueios entre o lobby e o lounge da barbearia.

barbearia man lab

O cliente que comprar R$100 em produtos da Man Lab não paga nada pela barba, e comprando R$200, o corte de cabelo também é cortesia. Além dos serviços clássicos de uma barbearia, a barbearia também irá disponibilizar lavagens especiais, manicure, pedicure, esfoliação nas mãos e pés, tonalização nos cabelos, barba, cavanhaque, sobrancelha, e serviços de design de sobrancelha.

Quem visitar a barbearia irá conhecer os produtos da Man Lab. Entre eles estão os óleos para barba, com fragrâncias exclusivas e diversos óleos vegetais na composição, como chia, argan e jojoba, responsáveis por hidratar tanto o pelo da barba quanto a pele. O óleo para barba está disponível em duas fragrâncias, Musk+Spices e Wood+Bergamot, além da versão sem perfume.

barbearia man lab maksoud plaza
Outro produto que ajuda na manutenção da barba e facilita os cuidados diários, é o Beard & Face Wash, especialmente desenvolvido para lavar e hidratar a barba, agindo também como sabonete líquido para o rosto. Assim como os óleos para barba, está disponível em duas fragrâncias.

Destaque entre os produtos da marca são os sabonetes na corda, um produto vegetal e muito hidratante, especialmente criado para a pele do homem. O Soap On a Rope contém óleo de copaíba, manteiga de karité e extrato de aloe vera, que garantem uma limpeza profunda e hidratação sob medida para a pele do homem.

 

Barbearia & Flagship Store Man Lab

Rua São Carlos do Pinhal, 450 - Lobby do Hotel Maksoud Plaza

Fazer a barba R$50 | Corte de cabelo R$65 | Cabelo + Barba R$105

Seg-Qui 9h as 21h | Sex-Sáb 9h 23h30

Para demais serviços, consultar a barbearia pelo Telefone ou WhatsApp (11) 97277.5522

AGENDE JÁ SEU HORÁRIO! 

-- 

Publicado por MAN LAB.

"Desenvolvemos produtos masculinos fáceis de usar, sem abrir mão do estilo e atitude. Conheça nossa nova linha de óleo de barba, shampoo de barba e sabonetes masculinos exclusivos."

 MAN LAB

COMO CUIDAR DA BARBA

Já conhece nosso canal no Youtube? Então se liga nessas dicas para deixar sua barba mais hidratada, forte e vistosa do que nunca! BE YOUR BEST.

 

Produtos utilizados neste vídeo:

Óleo para Barba Man Lab

Shampoo para Barba e Rosto Man Lab

Sabonete Masculino na Corda Man Lab

Le Tour de Vaqué: 3 barbudos, 1 carro-vaca e 4.000 Km

le tour vaque man lab barba barbudos

A vida é mais legal quando nos colocamos à prova. Quando pensamos dessa forma, a primeira coisa que vem à mente são experiências extremas, gente no bungee jump se jogando de penhascos, pulando de para-quedas da estratosfera e outras bizarrices que parecem sair de um comercial de energético. 

Mas se colocar à prova pode ser menos chamativo e mais complexo do que aparenta. Mais que isso, se testar constantemente é uma forma sincera de se relacionar consigo mesmo. Se por um lado é muito mais cômodo e seguro investir nosso tempo em opções comuns, por outro, as ideias incomuns e difíceis podem resultar em grandes experiências e histórias que te acompanham por muito tempo. 

Meu nome é Max. Não sou um cara radical. Não sou um cara dos esportes. Não tenho Instagram com milhares de seguidores e nem sou referência em lifestyle. A única coisa que eu faço, volta e meia, é testar até onde vão certas ideias.

carro vaca uno tour vaque man lab barba barbudo

Tive chefe por pouco tempo. Nunca planejei isso, muito menos procurei por isso, mas foi como as coisas aconteceram. Há anos sem chefe eu aprendi que se eu não me cobro, ninguém me cobra. Uma atitude que, depois de muitas cabeçadas, vai se ajustando e acaba contribuindo tanto no universo profissional como pessoal. Já fui diretor de arte, já participei de start up, já trabalhei com eventos, já tive minha agência de publicidade, já tive um carro-vaca... Pois é, sempre vendo o que acontece quando se tira uma ideia do papel.

Acredito que a gente passe a vida toda em dois modos: contando histórias ou criando histórias. O episódio do carro-vaca nasceu em uma época onde criar novas histórias era prioridade para mim.

Final de ano. Réveillon. Enquanto as pessoas decidiam qual casa de praia alugar, qual viagem internacional iam fazer, qual hotel do Booking era melhor, eu não tinha pensado em nada. Sempre achei roubada sair de São Paulo para pegar trânsito e pagar o dobro em qualquer coisa num lugar pega-turista.

Preocupado em fazer algo inédito, comecei a conversar com alguns amigos. Um deles em especial tinha a mesma preocupação. Mais que isso, tinha uma vontade legítima de ter uma experiência boa, acima de qualquer necessidade vazia de viajar para postar foto com hashtag “gratidão”. E esse é o Luis.

le tour vaque man lab barba barbudos

Depois de pensar no que fazer, o Uruguai apareceu como opção. Não é perto, não é longe. Falaram bem de umas praias por lá. O Google mostrou que as pessoas tinham razão. Ok, então decidimos ir. 

Como? Avião é para os fracos. Comprar uma Kombi e ir sempre foi uma ideia que durava 30 segundos, e acabava desmoronando depois da lembrança de que nenhum dos dois é mecânico. Então ir com um dos carros que já tínhamos era o mais realista a se fazer. O meu era mais novo e teoricamente mais adequado pra embarcar nessa. Mas qual é a graça de viajar até outro país em um Fiat Uno branco? Isso precisava ser mudado.

Depois de algumas cervejas, lembrando de filmes como Debi & Loide, concordamos: o Uno sendo branco poderia se transformar em várias coisas legais, como uma orca, um panda, uma zebra ou uma vaca. A vaca ganhou. Ninguém desgosta de vacas.

Mas pra que ir de vaca? Essa resposta nunca existiu. Por que não uma vaca? Esse era obviamente um grande quebra-gelo de 800kg que serviu como meio para conhecermos pessoas pelos 4.000 km de estradas que estavam por vir. A ideia deu bastante certo dentro e fora do Brasil. Pessoal dava tchau, as crianças apontavam e pediam um igual para os pais, tinha gente que mugia, tirava foto, pedia carona. Até as vacas de verdade interagiam, porque alguém levou um MP3 com uma hora de mugidos. Além da vaca, tivemos a adesão de mais um amigo, Duda, que foi de moto seguindo o mesmo trajeto.

A viagem nunca teve um roteiro, nunca teve reservas. A única meta era chegar a Montevideo e voltar. Se possível conhecer as praias que as pessoas citaram e o Google Images nos mostrou. E então partimos, logo depois do Natal.

le tour vaque man lab barba barbudos
Descemos todo o litoral brasileiro, começando a viagem pela estrada da Graciosa. Passamos por Morretes, praticamos um bóia-cross assassino (meu máximo em esportes radicais), continuamos por Matinhos, Guarda do Embaú, Imbituba, Laguna, Farol de Santa Marta, Xangri-la, São João do Norte, Rio Grande e então cruzamos o Chuí.

Depois de cruzar a fronteira passamos alguns dias em Punta Del Diabo, onde rolou uma festa de réveillon inusitada e então seguimos para Punta Del Este e Montevideo. Na volta para o Brasil seguimos no Uruguai pelo Forte de Santa Teresa, cruzamos a fronteira, partimos para Pelotas, Porto Alegre, Cambará do Sul e seus canyons, Serra do Rio do Rastro, Bom Jardim da Serra, Curitiba, Riviera de São Lourenço e enfim São Paulo novamente.

le tour vaque man lab barba barbudos
Foram 15 dias de viagem, vários hotéis, hostels, pousadas, casas, campings, muita gente nova pelo caminho e um conjunto de histórias que só existem porque fizemos algo fora do comum acontecer. A vaca fez diferença? Sim, muita. Não era um carro-vaca, era o começo de uma conversa.

Essa vontade de fazer as coisas foi fundamental nessa história. O exercício de sair de um padrão ou de testar novidades é complexo, mas tem que ser constante, seja na vida pessoal ou profissional. Assim a vida é mais viva, sempre.

--

Sobre o autor: Max Wohland (@max_wohland) é consultor de comunicação e branding e sócio da Garagem 53. Fez o Le Tour de Vaqué em 2014 e pretende retomar essa road trip em 2017, com o Atacama como destino. Você pode acompanhar a viagem aqui. 

COMO CUIDAR DA BARBA FORA DE CASA

barba man lab

Os tempos em que estamos vivendo, demandam certa habilidade em fazermos as coisas rapidamente e com perfeição. Tudo a nossa volta parece estar com um pé nas nossas costas, empurrando, e dizendo “Vamos que você está atrasado! ”. Trabalho, projetos, casa, estudos, mulher... A lista é grande. Muitas vezes não temos tempo para dar aquele tapa no visual, e a barba acaba sendo a última coisa em que pensamos na hora da correria. Deixo aqui algumas dicas de como manter sua companheira facial sempre bem cuidada. Mesmo com aquele monte de cronômetros em contagem regressiva na sua mente, assinalando que o tempo está passando e você não irá alcançá-lo, é possível manter a barba bem alinhada.

Mantenha em sua maleta ou mochila, uma necessaire (isso não é frescura, é necessidade). Nela você irá colocar os itens básicos para manter os cuidados com sua barba: uma tesoura pequena, o Óleo para barba Man Lab e um pente. Lembrando que, se você tem a barba mais curta (de algumas semanas), coloque uma maquininha - dessas próprias para aparar a barba. Também pode colocar o Shampoo para Barba e Rosto Man Lab.

Se você é do tipo que não dispensa o Happy Hour de quinta-feira, depois do trabalho. Ou é sempre pego desprevenido para uma reunião de última hora com aquele chefe do tipo Sargento Hartmann (se não sabe de quem estou falando, assista o filme: Nascido Para Matar), esse kit é indispensável.

TESOURA: Para aparar aqueles fios “desgrenhados” que não assentam de jeito nenhum. Uma barba com fios desalinhados sugere falta de cuidado e uma aparência nada convidativa. Seja diante do chefe ou da garota que irá te acompanhar no tal Happy Hour, uma barba assim em nada irá favorecê-lo. Dê uma chegada rápida no banheiro mais próximo (de preferência um que tenha espelho) e dê um trato aparando esses fios. Não se esqueça de aparar o bigode e tirar os fios dos lábios; a “mina” agradece, e o chopp não vai deixar uma marca de “colarinho” no seu bigode. Existem tesouras próprias para cortar os fios de cabelo ou barba. Aquela tesourinha de cortar papel não serve! Pelo contrário, você vai é passar raiva com ela e ainda vai deixar sua barba bem zoada. A maquininha também pode ser de grande ajuda. Mas tome cuidado! É necessária certa destreza para manuseá-la sem danificar a barba.

SHAMPOO: Claro que quando digo “Cuidar da barba fora de casa...”, não quero dizer apenas que você vai fazer isso sempre na correria ou saindo do trabalho. Muitas vezes você está de férias ou passando um final de semana num passeio, por exemplo. Nessas ocasiões nosso “Kit de Primeiros Socorros”, é uma mão na barba (tá, eu sei, piadinha horrível, essa). O Shampoo para Barba e Rosto pode muito bem fazer parte deste kit. A importância de lavar a barba é do conhecimento de todos; isso já faz parte do nosso dia-a-dia. A MAN LAB possui kits completos, com shampoos, óleos e sabonetes masculinos. Além do belo visual e da qualidade inegável, a praticidade também é sua marca registrada. Os kits podem ser transportados facilmente e alocados na mala sem qualquer transtorno.

ÓLEO: Por mais que a barba esteja limpa e bem alinhada, é inegável que um brilho nos fios faz toda a diferença. Se você está longe de casa e não tem tempo para dar um trato completo, o Óleo para Barba pode tirar você desse sufoco. Dê uma chegada no toalete e aplique o óleo (é importante que sua barba esteja limpa). A viscosidade do óleo, aliada ao uso do pente, deixa a barba com aspecto de bem cuidada, mesmo que você não a tenha aparado. E, vale lembrar, a fragrância que o óleo proporciona é extremamente marcante.

PENTE: Muita gente não se atenta à importância dos pentes para barba. O pente é importante para dar uma finalizada e alinhar os fios. Acho que aqui não há muito o que explicar; é para isso que os pentes servem, hora. Tendo um pente no momento em que se precisa dele, pode ser o limiar entre ficar com uma Barba de Mendigo, ou ficar com a barba... bom, como a sua; bem cuidada.

Um barbeiro de confiança é, sem dúvida, uma boa alternativa para manter a barba em dia. Hoje, temos profissionais muito bem preparados e com estabelecimentos à altura dos cuidados que nossas barbas merecem. Mas, na falta deste, e em momentos como os citados acima, a necessaire será uma grande aliada.

--

Sobre o autor: Marcelo Kantelle é colunista do blog MAN LAB, entusiasta da barba e criador do Canal BerserkeR MarceloKantelle, no Youtube. Procura passar por meio de seus vídeos e textos seu conhecimento sobre o assunto BARBA. Pode ser encontrado no email: marcelokantelle@hotmail.com

O REGRESSO: DiCaprio e sua Barba

dicaprio o regresso man lab

Sei que pode parecer um tema já meio... passado, mas, graças aos deuses binários, a internet é atemporal e podemos tratar de qualquer assunto, a qualquer momento, sem problema algum. Sendo assim, vamos falar sobre o Dicaprio, sua Barba de Caçador e seu mais novo Oscar.


Sem dúvida alguma, Leonardo DiCaprio está entre os melhores atores de sua geração. Foi indicado ao Oscar cinco vezes e, finalmente, nesta última, ganhou. Poderia ter ganho no mínimo em oito dos trinta filmes que têm no currículo (essa é minha opinião, claro). Acredito que este Oscar foi mais para desforra aos prêmios “perdidos”, que para a atuação em si (minha opinião, novamente). Sim, foi uma atuação memorável, mas o que ele passou no filme inteiro foi: frio e dor. Ok, antes que venham me crucificar: não penso que foi uma atuação ruim, mas ele teve papéis bem melhores em outros filmes, e não levou o prêmio. Entendem a incoerência? Está bem, deixando a análise cinematográfica de lado, que, aliás, não é nem de longe, a minha praia, vamos falar da barba dele em O REGRESSO (ah! Aproveitando o gancho, o filme ‘A Praia’, também é uma boa dica).

O filme conta a história de Hugh Glass, um caçador que, depois de ser atacado e ferido ferozmente por um urso (ou ursa), é deixado à própria sorte pelos companheiros de jornada. Daí para frente são cenas espetaculares de florestas, geleiras e quedas d’água. E outras, nem tanto, de sangue, vísceras e escalpes. As barbas também estão presentes na maioria dos personagens não-indígenas. O local em que se passa a história é bastante frio; natural que os caçadores usassem barba.

A barba do DiCaprio não é o que se possa chamar de invejável, mas têm características que se assemelham às barbas de muitos de nós. À pesar da formação mais volumosa na parte inferior - abaixo da linha do maxilar, apresenta poucos fios nas laterais - costeletas e linha inferior das maçãs do rosto. O alento para quem possui este tipo de barba é o fato de o cavanhaque e o bigode estarem unidos e sem falhas. Notem que o bigode não é tão volumoso, porém, está totalmente unido ao cavanhaque, nas laterais (essa é uma das maiores queixas do pessoal que ainda está com sua barba em formação: a junção do cavanhaque).

Ele cultivou a barba durante seis meses e a manteve comprida por quase um ano. Segundo o próprio Leonardo, ele lavava diariamente com shampoo e condicionador (chagaram a dizer, na internet, que ele tinha piolhos na barba) - ainda não entendi o porquê dessas sandices em torno da barba, mas irei pesquisar, prometo. No filme, DiCaprio quase sempre aparece com a barba cheia de neve. Na verdade, aquilo não é neve, e sim, cera. Pois é, um dos truques da equipe de maquiagem. A maquiagem demorava entre 4 e 5 horas para ficar pronta todos os dias. Já imaginaram colocar neve na barba à cada take? A cera era a melhor opção, certamente. Em uma entrevista, no programa da apresentadora Ellen DeGeneres, ele disse que não deixaria mais a barba comprida, a não ser para interpretar outro personagem. Segundo ele, “...dá muito trabalho para cuidar e atrapalha na hora de comer.”.  

Também na internet, surgiram vários memes dizendo que ele ganhou o Oscar porquê ostentava a barba, nesse filme. Brincadeiras, e pelos, à parte, Leonardo DiCaprio já possui seu tão sonhado Oscar e já está em projetos de filmes a concorrer na Academia de Artes e Ciências Cinematográficas. Esperamos que este seja apenas o primeiro de muitos prêmios para nosso amigo, barbado ou não.

Óleo para Barba Man Lab

Shampoo para Barba e Rosto Man Lab

Sabonete Masculino na Corda Man Lab

--

Sobre o autor: Marcelo Kantelle é colunista do blog MAN LAB, entusiasta da barba e criador do Canal BerserkeR MarceloKantelle, no Youtube. Procura passar por meio de seus vídeos e textos seu conhecimento sobre o assunto BARBA. Pode ser encontrado no email: marcelokantelle@hotmail.com

A proeza de comer sem sujar a barba

comer sem sujar barba MAN LAB

Quem aí não gosta de comer em um bom restaurante e sair com sua pequena para um jantar à luz de velas ou, para os mais modernos, de smartphones? Esta é uma saga que poucos barbados têm coragem de empreender. Se sua barba é do tipo rala, de poucas semanas de crescimento, não tem muito problema com isso. Mas se é um Yeard com a barba bem farta, meu amigo, você tem todos os problemas do mundo na hora de comer fora de casa. Sendo sincero aqui, fast foods são a minha derrota. Outro dia fui numa dessas lanchonetes e tive que sair e comer numa mesa do lado de fora; todos ficaram me olhando curiosos para ver a lambança com o molho do sanduíche. Então, sabendo que essa é uma tarefa árdua e nada confortável de se fazer, deixo aqui algumas dicas para bater aquele lanche, ou comer no seu à la carte preferido, sem passar vergonha.

Primeiro é importante ter em mente que se você está disposto a ir ao restaurante ostentando sua barba, mas não quer passar vergonha na hora de comer, deve deixar aquela velha postura de macho das cavernas e tratar da barba como um verdadeiro gentleman (estou abusando do estrangeirismo, hoje). Muitos acham este cuidado uma grande frescura, mas penso que isso não é nada mais que simples higiene e bom senso.

BIGODE
A parte que mais incomoda e dá trabalho na hora de comer é o bigode. Aplique uma boa cera para bigode antes de sair. Modelando os fios e tirando-os da superfície dos lábios, fica muito mais fácil de comer e evita o contato do alimento com o bigode. A cera funciona mesmo, eu já usei e ainda uso. No caso de líquidos pode-se lançar mão do canudinho. Aí não tem como errar, o líquido, obviamente, não entra em contato com a bigodeira e fica tudo limpinho. Existem também aqueles copos com tampas que tem uma pequena abertura para a saída do líquido. Esses copos são, geralmente, para café ou cappuccino.

CAVANHAQUE
Os fios da barba na região do queixo são os verdadeiros vilões na hora de tomar aquela sopa deliciosa. Se você quer ter toda a atenção dos clientes do restaurante, e dos funcionários também, é só tomar uma sopa sem estar de posse de um guardanapo. Não economize no uso, ele é, e sempre será seu fiel escudeiro na hora da refeição. Se você é daqueles como eu, que simplesmente acha inconcebível um sanduíche sem MUITA mostarda e MUITO catchup, então siga esta dica: Coloque o catchup e a mostarda no exato local onde pretende abocanhar, assim você não irá sujar o cavanhaque. Parece óbvio, mas ninguém faz; Vai logo enchendo o lanche com os molhos e acaba se lambuzando todo. Se for possível, corte o bendito lanche e coma pedaço a pedaço; não é tão suculento desta maneira, mas certamente sua barba não ficará suja. 

BARBA (pontas)
JAMAIS aproxime sua barba do prato de sopa ou macarronada. Fiz isso em casa, e eu mesmo fiquei desconfortável com a sensação da barba tocando o alimento. Parece nojento... e é! Então, sempre leve a colher até a boca sem aproximar a barba do prato, sua barba agradece e a namorada também. Outra dica é, no caso da sopa, colocar quantidade mínima na colher. Se possível, use uma colher menor que a de sopa para a refeição (de sobremesa, por exemplo); quanto menos volume de sopa na colher, menor a chance de sujar a barba. Caso a refeição seja macarronada, procure cortar o espaguete em tiras menores e enrole bem, no garfo. Se for macarrão do tipo parafuso, então o problema será apenas com o molho, nada que o bom e velho guardanapo não resolva.

Ao final de toda esta saga devemos sempre lembrar da higiene. Nesta hora importante é que entra em cena o Shampoo para Barba e Rosto MAN LAB. Além de fazer a limpeza, ele ainda deixa sua fragrância marcante e inconfundível. 

Óleo para Barba Man Lab

Shampoo para Barba e Rosto Man Lab

Sabonete Masculino na Corda Man Lab

--

Sobre o autor: Marcelo Kantelle é colunista do blog MAN LAB, entusiasta da barba e criador do Canal BerserkeR MarceloKantelle, no Youtube. Procura passar por meio de seus vídeos e textos seu conhecimento sobre o assunto BARBA. Pode ser encontrado no email: marcelokantelle@hotmail.com

Bigodes no cinema

Para  cultivar o bigode é preciso ter, além de pelos, coragem. Sim, pode ter certeza de que um bigode bem cultivado, chama mais atenção até mesmo que a própria barba. O bigode, por si só, já denota certa imponência e poder de seu possuidor. Na Índia, os policiais ganham bonificações caso deixem seus bigodes crescerem. Algumas das personalidades mais marcantes da História, ostentavam bigodes. Entre eles podemos citar: Albert Einstein, Gandhi, Salvador Dalí, Martin Luther King, Charles Chaplin. E já que este artigo é sobre bigodes e cinema, vamos começar com esse último, que foi um dos maiores (senão o maior) gênios da sétima arte.

CHARLES CHAPLIN (O Grande Ditador) 
 CHARLES CHAPLIN BIGODES NO CINEMA MAN LAB

Por pura ironia, ou não, o bigode mais famoso, e talvez mais antigo do cinema, era falso. Sim, Charles Chaplin usou bigodes postiços em seus filmes. Os bigodes foram vendidos num leilão em 2004 e saíram pela “bagatela” de 19,9 mil libras, cerca de 152 mil reais, à época. Um dos filmes em que ele ostenta seu “escovinha” (este era o nome desse estilo de bigode, na década de 30) é, O GRANDE DITADOR (1940). Nesta película ele faz uma satírica referência a Adolf Hitler. Hoje, o escovinha é mais conhecido como Bigodinho do Chaplin ou, do Hitler.

CHARLES BRONSON (Desejo de Matar 1, 2, 3, 4....)
CHARLES BRONSON DESEJO DE MATAR MAN LABÉ difícil lembrar dele e não vir à mente a imagem do clássico bigode. Foi marca registrada nas sequências do filme DESEJO DE MATAR (cinco, ao todo). O bigode do Charles Bronson é tão icônico que até ganhou destaque no filme BRONSON, de 2008, em que Tom Hardy interpreta o prisioneiro britânico Michael Peterson. Este, considerado o prisioneiro mais violento da Grã-Bretanha, desenvolveu um alter-ego psicótico na cadeia e achava que era o personagem Paul Kersey de DESEJO DE MATAR. Para vocês verem como o bigode de Charles Dennis Buchinsky (esse era o nome verdadeiro do Charles Bronson) era poderoso.

EDDIE MURPHY (Um Tira da Pesada)

EDDIE MURPHY TIRA DA PESADA MAN LAB
Este clássico dos anos oitenta apresentou Eddie Murphy, e seu “bigodinho patife”, para os holofotes. Os trejeitos e sacadas do personagem têm tudo a ver com esse estilo do “acessório capilar” que, para as moças, naquela época, era tido como um dos bigodes mais sexy. Aqui, ele está na pele do personagem Axel Foley, um policial politicamente incorreto e com métodos nada convencionais, que se dirige para a cidade de Beverly Hills onde pretende investigar a morte de um amigo, ocorrida sob circunstâncias muito suspeitas. Outra marca registrada desse filme, é a trilha sonora. Não lembro de ter visto o Eddie em algum filme, sem bigode. Se vocês souberem, comentem aí embaixo.

DANIEL DAY-LEWIS (Gangues de Nova York)

DANIEL DAY-LEWIS Gangues de Nova York MAN LAB
Sem dúvida um belo bigode. Pensam que é fácil fazer essa “voltinha”? Não é! Eu já tentei. Em Gangues de Nova York, Mr. Lewis é Willian Cutting, um imigrante irlandês que entra em conflito com seu conterrâneo, Amsterdam Vallon (Leonardo DiCaprio). O que culmina numa das sequencias de luta com facas, mais violentas das telonas. Com este bigode, Daniel ocupa a oitava posição na lista feita pela revista Empire, dos dez bigodes mais famosos do cinema. Detalhe, ele também é dono da primeira posição, com o bigode do personagem Daniel Plainview em SANGUE NEGRO (2007).

WAGNER MOURA (Narcos)
WAGNER MOURA Narcos MAN LAB
E como não pode faltar um representante brazuca, deixo aqui o do Moura. Tá, eu sei que é uma série. Mas o que importa aqui é o bigode, e não, o tamanho da tela. Para quem ainda não assistiu, fica a recomendação. Em NARCOS (2015), Wagner Moura se torna Pablo “El Patron” Escobar. Ele foi um famoso narcotraficante colombiano, morto em uma operação policial no início da década de noventa. O bigode, para ser sincero, não ficou lá muito parecido com o do Pablo Escobar. Mas a série, no todo, redime este pequeno detalhe.

Estes são alguns dos bigodes mais marcantes das telas, na minha opinião. Há, pelo menos, uns cinquenta bigodes que poderia citar, mas vamos ficar apenas nestes cinco mesmo.

BÔNUS
Deixo aqui a dica de um filme que se refere especificamente ao bigode: LA MOUSTACHE (2005). Trata-se da história de Marc, um homem comum que, num dia qualquer, decide tirar o bigode, que é sua marca registrada. Assim, ele acredita que todos irão notar a diferença e comentar sobre isso. O problema é que, para sua surpresa, ninguém percebeu a mudança. Pior, todos, inclusive sua esposa, afirmaram veementemente que ele não usava bigode há anos. Acreditando estar ficando louco, Marc inicia um questionamento sobre a própria existência e os mecanismos do universo. O filme aborda o campo dos dramas existencialistas e da importância de termos nossa própria identidade. O “sermos nós mesmos”, já citado em outro texto que escrevi, aqui no blog. 

Óleo para Barba Man Lab

Shampoo para Barba e Rosto Man Lab

Sabonete Masculino na Corda Man Lab

--

Sobre o autor: Marcelo Kantelle é colunista do blog MAN LAB, entusiasta da barba e criador do Canal BerserkeR MarceloKantelle, no Youtube. Procura passar por meio de seus vídeos e textos seu conhecimento sobre o assunto BARBA. Pode ser encontrado no email: marcelokantelle@hotmail.com

TROCAS E DEVOLUÇÕES

SATISFAÇÃO GARANTIDA OU SEU DINHEIRO DE VOLTA

Se por qualquer motivo um produto não atender às suas expectativas você poderá devolvê-lo, caso este ainda não tenha sido violado e não tenha sinais de uso. A nota fiscal e  todas as suas embalagens originais devem ser preservadas. A devolução do produto deve ser solicitada pelo email faleconosco@manlab.com.br em até 7 dias corridos, contados a partir do dia do recebimento. Deve-se seguir as instruções de devolução informadas por email, dessa forma você receberá 100% do seu dinheiro de volta.

Em caso de produtos quebrados ou com defeito, avise-nos imediatamente após o recebimento. Nós enviaremos outro produto prontamente ou devolveremos seu dinheiro - você escolhe.

PRODUTO EM DESACORDO COM O PEDIDO

Caso receba um produto diferente do que pediu, entre imediatamente em contato pelo email faleconosco@manlab.com.br notificando o caso em até 7 dias corridos após o recebimento do produto. Siga as instruções enviadas por email.